O Resumo da Ópera de Dani Carmesim e Suas Pedras que Rolam

Atualizado: 14 de mar.


Para: Dani Carmesim.


Você fez minha cabeça.


Dani existe uma expressão que usávamos entre amigos sobre algo que comíamos pela primeira vez, quando alguém perguntava. - E aê tá gostoso? Respondíamos. - Humm uma explosão de sabores!


É exatamente assim que me sinto escutando o “Resumo da Ópera” minha querida. Um passeio fantástico por sua sonoridade que é de embriagar de forma genuína quando escutamos, por exemplo, “Bolero Urbano” tem lembranças de noites inesquecíveis de Recife igual uma trilha sonora de um filme de Cláudio de Assis.


Fazer ópera nesse país de idiotas da forma que você vem fazendo com sua arte é mais que resistência, é ter uma leveza espiritual invejável, é caminhar entre o céu e o inferno nessa capital diabolicamente insuportável de coronéis do contemporâneo e usurpadores dos direitos do proletariado que reflete em todas variantes do fazer e do criar.


Pessoas que vomitam arte e cantam suas frustrações e conquistas, fazem de nossa capital que cheira mal por todos os orifícios, seja vista de forma poética, musical e literária, se tornando assim, no céu que queremos enxergar.


O Resumo da Ópera de Dani Carmesim é esse grito de paraíso que tanto queremos transformar nossa capital e o mundo que não é tão diferente da nossa aldeia. É sentir o cheiro do medo e como um cão raivoso e incontrolável quebrar todas as correntes que nos sufoca.


Essa Ópera tem uma pegada social que não da para separar mais do trabalho da maravilhosa criatura e artista que é Dani, que destila todo seu veneno harmônico em gotas homeopáticas para curar todos os males miseráveis desse nosso tempo atual e vergonhoso que estamos vivendo.


O recado dado em Libriana de forma quase que sussurrada em nossos ouvidos é um equilíbrio fatal que queremos ter para executar entre um baixo, bateria e guitarra na mesma proporção de céu e inferno.


- Dani, eu estou extasiado com sua pluralidade musical, seu ritmo social e sua bruxaria quase que irreal. Não canso de escutar sua potencia astral em cada faixa desse resumo todo. Escutando de forma contundente tudo que você tem para nos dizer e de certa forma emocionado, com seu coração congelado na música Gelo. – Porra que música é essa. Não consigo sair dela, já é a quinta vez que escuto de forma consecutiva. Se fosse um disco em vinil essa faixa teria um buraco grande da agulha de tanto tocar.


Você realmente conseguiu envenenar minhas artérias como uma droga fazendo explodir meu coração de dentro para fora do órgão mais importante que mora em mim.

Quero estender aqui minha emoção até o baixo de André Insurgente meu irmão você também é muito phoda.


Escute essa bordoada que é “Resumo da Ópera”. Eu queria tanto ter um bilhão de amigos só por hoje e poder distribuir tudo isso que é Dani Carmesim e fazer um pouco do mundo sentir o que estou sentindo enquanto escrevo e escuto essa ópera. O Rock de Dani Carmesim é como pedra que rola sem criar lodo.



Ouça o álbum #ResumodaÓpera: https://tratore.ffm.to/resumo-da-opera

Videomaker: André Insurgente Direção Criativa: André Insurgente e Dani Carmesim FICHA TÉCNICA Gravado na Área 51 Home Studio Mix, Masterização e Produção Musical: Fernando S. André Insurgente - Baixo Fernando S. - Guitarra/Piano/Synth Tiago Marditu - Bateria Dani Carmesim- Voz