Mostra de dança exalta a beleza e a força da mulher nas danças populares de matriz afro-indígena


A I Mostra Obinrin-Kunhã de Dança acontecerá nos dias 14, 15 e 16 de julho, no Youtube, com a exibição de 17 solos inéditos e rodas de diálogos entre mulheres


Com o intuito de jogar luz na beleza, na força e no protagonismo das mulheres nas danças populares de matriz e motriz afro-indígena, sendo este um importante espaço para a visibilidade, o empoderamento e o fomento artístico feminino, a I Mostra Obinrin-Kunhã de Dança acontecerá virtualmente nos dias 14, 15 e 16 de julho (quinta e sexta-feira a partir das 20h, e sábado a partir das 19h) com acesso livre pelo Youtube (canal I Mostra Obinrin-Kunhã de Dança) - link disponível no Instagram @mostraobinrinkunha. O projeto possui incentivo da Lei Aldir Blanc 2021.


Nos três dias de programação, serão apresentados 17 solos inéditos de dança, cada um com duração de até 10 min, exaltando o brilho de mulheres com trajetórias expressivas em seus movimentos e danças tradicionais como caboclinhos, maracatu, afoxé, xaxado, cavalo-marinho, frevo, samba-de-roda, coco, capoeira, entre outras, além de rodas de diálogos. Os trabalhos serão distribuídos em eixos que dialogam sobre re(existência), memória, espiritualidade, história, ancestralidade e continuidade.


Entre as participantes que apresentarão seus solos, estão mestras da cultura popular, artistas da dança, brincantes e criadoras-intérpretes. São elas: Zenaide Bezerra, Mestra Jeane Ferreira, Mestra Nice Teles, Maria Inêz, Denise Maria, Luciana Souza, Mirtes Ferreira, Iara Campos, Taynã Fortunato, Janaína Santos, Juliana Ramos, Silvania Ramos, Priscilla Tawanny, Josy Siqueira, Islene Martins, Marcela Santos e Marcela Rabelo, que também é produtora cultural e idealizadora da mostra.


Nas rodas de diálogo, para pensar a trajetória e os desafios de ser mulher da dança e da cultura popular, estarão presentes as artistas da dança Vilma Carijós, Amélia Veloso, Adriana do Frevo, Zenaide Bezerra, Janaína Santos, Marcela Rabelo e a historiadora e pesquisadora da cultura popular Carmem Lélis.


“Obinrin (Obìnrin em Yorùbá, mulher, força do feminino) e Kunhã (do tronco tupi-guarani, mulher, moça, liderança feminina) são palavras que se apresentam para nomear a mostra numa perspectiva de reflexão, de busca e de retomada de valores e princípios para pensar as danças populares, afro-indígenas e brasileiras como lugar de produção de conhecimento, reconhecimento de nossa história e do papel das mulheres neste processo. Através dos trabalhos solos apresentados por artistas da dança e da cultura popular, a mostra visa ressaltar o trabalho de mulheres, que através do fazer artístico, sociocultural e ritualístico, reconhecem sua própria identidade e história, frente a um mundo que cada vez mais insiste no apagamento, desvalorização e na invisibilidade da importância destas danças para o entendimento de si enquanto ser protagonista de uma humanidade que preza a coletividade dos seres”, explica a artista da dança Marcela Rabelo, produtora cultural e idealizadora da mostra.


A Mostra, que possui incentivo da Lei Aldir Blanc 2021, conta no total com uma equipe de 40 profissionais, onde 80% são mulheres. Com coordenação de Marcela Rabelo, produção executiva de Felipe França e produção de Marriane Costa, a mostra também buscou, desde o processo de sua elaboração, o posicionamento do lugar de protagonismo e poder de decisão das mulheres integrantes de cada uma das etapas e funções desempenhadas no projeto.


Para Marcela, este é um passo importante não só como mulher, mas como artista da dança, onde as decisões na feitura do projeto são centradas a partir do posicionamento das artistas envolvidas, respeitando suas escolhas e o tempo cotidiano de participante (tendo em vista que além do trabalho com a dança, com a comunidade e com o entorno que ela propicia, muitas das artistas e mestras também são mães). “Viabilizar não só espaços de visibilidade e fala para as mulheres artistas da dança e da cultura popular, mas poder de decisão sobre os recursos é também reparação histórica. Que mais e mais de nós possamos protagonizar e decidir”, negrita a idealizadora da mostra.

PROGRAMAÇÃO

DIA I | 14/07 | OBINRIN-KUNHÃ: RE(EXISTÊNCIA) E MEMÓRIA

A FORÇA DAS RUAS (1min30)

Josy Siqueira

PENACHO AMARELO, MULHER E ANCESTRALIDADE CABOCLA (7min)

Mestra Jeane Ferreira

IJÓ ASÈ ERÊ (4min)

Janaina Santos

CORPO MEMÓRIA (7min28)

Taynã Fortunato

SOU A BELEZA QUE DANÇA E NÃO SILENCIA (3min 46)

Juliana Ramos

A RESISTÊNCIA DO MARACATU FEMININO DE BAQUE SOLTO CORAÇÃO NAZARENO (4min)

Denise Maria

RODA DE DIÁLOGO

DIA II | 15/07 | OBINRIN-KUNHÃ: ESPIRITUALIDADE, HISTÓRIA E REVOLUÇÃO

JACIRA (5min39)

Iara Campos

O FUTURO DO PASSADO E O PASSADO DO FUTURO (2min30)

Islene Martins

MARAVILHOSAS PERNAMBUCANAS (7min)

Priscilla Tawanny

MINHA DANÇA TEM HISTÓRIA! (6min)

Mirtes Ferreira

TAPUIA DO CANINDÉ (8min)

Silvania Ramos

SAUDAÇÃO AS YÁBÁS (5min)

Maria Inêz

RODA DE DIÁLOGO

DIA III |16/07 | OBINRIN-KUNHÃ: ANCESTRALIDADE E CONTINUIDADE

DE RAIZ PRA RAIZ (5min)

Marcela Santos

NO PASSO DA VIDA...SÃO DOIS PARA LÁ DOIS PARA CÁ (3min)

Zenaide Bezerra

O LEGADO (8min)

Mestra Nice Teles

FOLHAS (3min)

Luciana Souza

DA SERPENTE À ROSEIRA, SALVE AS ARRUACEIRAS! (8min)

Marcela Rabelo

RODA DE DIÁLOGO

FICHA TÉCNICA - I MOSTRA OBINRIN-KUNHÃ DE DANÇA:

Coordenação Geral e Concepção: Marcela Rabelo

Produção: Marriane Costa

Produção Executiva: FF Produções/ Felipe França

Solistas/ Artistas da Dança/ Mestras da Cultura Popular:

Denise Maria

Iara Campos

Islene Martins

Mestra Jeane Ferreira

Janaína Santos

Juliana Ramos

Josy Siqueira

Luciana Souza

Marcela Rabelo

Marcela Santos

Maria Inêz

Mirtes Ferreira

Mestra Nice Teles

Priscilla Tawanny

Silvania Ramos

Taynã Fortunato

Zenaide Bezerra

Artistas da Dança e/ou Mestras convidadas

(Roda de Diálogo):

Adriana do Frevo (Adriana Roberta Soares de Lima)

Amélia Veloso

Carmem Lélis

Janaína Santos

Marcela Rabelo

Vilma Carijós

Curadoria: Marcela Rabelo e Felipe França

Administração de Projetos: Orun Produções

Equipe de Filmagem: Erlânia Nascimento e Estúdio Lives

Gravação, Edição e Finalização de Vídeo: Estúdio Lives

Iluminação: Marcelo Sampaio

Cenografia: Marriane Costa e Selene Caetano

Fotografia (still): Morgana Narjara e Pedro Raiz

Design Gráfico e Diagramação: Silvana Beraldo

Arte Final e Diagramação: Rosa Desenha

Redes Sociais e Site: Marcela Rabelo

Assessoria de Comunicação: Alcateia Comunicação e Cultura (Andréa Almeida)

Gravação, Edição e Finalização de Trilhas: Valdi Afonjah e Felipe França

Assistente de Produção: Antonio Rocha e Anthony Lucas

Camarim: Ana Elizabete Melo e Andréa Lima

Transporte: WB Wellington Biés Produções

Realização: Rosa Rizoma Pontes de Criação

Apoio: FF Produções, Estúdio Lives, Orun Produções, WB Wellington Biés Produções, Mercado Eufrásio Barbosa.

Incentivo: Lei Aldir Blanc 2021/ LAB PE 2021.

SERVIÇO:

I Mostra Obinrin-Kunhã de Dança Data: 14, 15 e 16 de julho (quinta-feira a sábado) Horário: quinta e sexta a partir das 20h, sábado a partir das 19h Acesso: gratuito Faixa etária: livre Canal do Youtube: I Mostra Obinrin-Kunhã de Dança Instagram: @mostraobinrinkunha

CONTATO - ASSESSORIA DE IMPRENSA:

Alcateia Comunicação e Cultura

Andréa Almeida: (81) 99172-3222

alcateiacomunicacaoecultura@gmail.com Instagram: @alcateia.comunicacao